Metafísica Z, 3 Sobre incursões heideggerianas

Luiz Alberto Hebeche

Resumo


As interpretações da metafísica aristotélica, a partir da vertente aberta por Heidegger, têm se expandido e ganhado um amplo espaço e divulgação. Uma amostra disto é o artigo de Daniel Panis “Do ser e do fundamento em Metafísica Z, 3” publicado na Revue de Philosophie Ancienne, n.1, 1986, onde ele trata de uma nova interpretação heideggeriana do Estagirita expressa em “A Metafísica de Aristóteles. O fundamental e o Essencial” em que Rudolf Boehm analisa a famosa aporia de Z,3 onde Aristóteles teria explicitamente focalizado seu dilema metafísico central entre a ontologia e a teologia, entre a questão do ser e a questão do fundamento. Este artigo trata essa interpretação da insólita passagem da Metafísica de Aristóteles. Ele mostra heideggerianamente como nessa passagem o estagirita se deparou com a obscuridade do fundamento primeiro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Luiz Alberto Hebeche

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br