Ricoeur leitor de Freud: notas sobre a questão do sujeito em Freud

Weiny César Freitas Pinto

Resumo


O artigo detém-se a um ponto específico da leitura que o filósofo francês Paul Ricoeur (1913-2005) fez da Psicanálise freudiana em seu De l’interprétation – essai sur Freud (1965): a sua análise da questão do sujeito em Freud. Nossa hipótese é que há, em sentido geral, pelo menos dois aspectos fundamentais da análise que Ricoeur apresenta de Freud acerca da questão da subjetividade: o primeiro se refere à identificação da teoria psicanalítica como um discurso sobre o sujeito. Neste aspecto, a tese ricoeuriana é que a Psicanálise de Freud possui um discurso próprio sobre a subjetividade. O segundo trata da concepção deste sujeito do qual nos fala este discurso próprio da Psicanálise. Já aqui, a tese de Ricoeur é que a subjetividade em Freud é sempre aquela que não se crê, uma espécie de subjetividade às avessas, em nossos próprios termos. A fim de avaliar a hipótese que propomos, seguiremos a argumentação ricoeuriana a partir das noções de “dialética do freudismo” e de “estrutura de acolhida filosófica da Psicanálise” – a Fenomenologia de Husserl e o conceito de “arqueologia do sujeito” – para argumentar que a leitura que Ricoeur faz de Freud sobre a questão da subjetividade nos coloca diante de uma espécie sui generis de teoria do sujeito. Esta tese extrai do trabalho do filósofo sobre a Psicanálise, a sua contribuição, talvez, a mais decisiva: estaria Ricoeur, por meio do freudismo, nos falando de uma nova teoria da subjetividade? Ao que tudo indica, sim. Mas, nesse caso, de que sujeito, exatamente, se trata? De que subjetividade nos fala Ricoeur, leitor de Freud? Como se dá a constituição deste sujeito, quais suas características e o que, afinal, o torna, de forma efetiva, possível? É com o intuito de, pelo menos inicialmente, responder a essas questões que o presente artigo irá, portanto, apresentar algumas notas gerais sobre a questão do sujeito em Freud a partir da leitura ricoeuriana do freudismo.


Palavras-chave


Filosofia, Psicanálise, Subjetividade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Weiny César Freitas Pinto

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br