Notas sobre a crítica feminista ao Multiculturalismo a partir de Susan Moller Okin

Willian Martini

Resumo


O presente artigo é desenvolvido através de dois eixos: um deles consiste na exposição do argumento e dos casos apresentados por Susan Moller Okin contra a concessão de direitos para grupos minoritários defendida pelos multiculturalistas; o outro eixo procura fazer alguns apontamentos críticos à maneira como Okin estrutura e fundamenta sua crítica feminista ao multiculturalismo. Com relação a este segundo eixo, vamos sustentar que existe certa insuficiência justificativa no uso que Okin faz dos princípios liberais para sustentar sua posição frente ao multiculturalismo, entre outros problemas. Outro ponto, ainda que controverso, surge do eminente etnocentrismo presente no raciocínio feminista de Okin acerca do fenômeno da dominação masculina.  De maneira geral, vamos problematizar o tratamento concedido por Okin ao multiculturalismo e salientar que, para além da reivindicação por direitos, o multiculturalismo também compreende uma perspectiva que busca desafiar as democracias em face da diversidade cultural. 


Palavras-chave


Multiculturalismo; Feminismo; Liberalismo

Texto completo:

PDF

Referências


BAHBHA, H. K. “Liberalism’s Sacred Cow” in: J. Cohen, M. Howard, and M.C. Nussbaum (eds.), Princeton: Princeton University Press, 1999, p. 79 -84.

DE SOUSA SANTOS, B; NUNES, J. A. “Para ampliar o cânone do reconhecimento, da diferença e da igualdade”. In: Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural, 2003. Disponível em: www.ces.fe,uc.pt/emancipa/research/pt/ft/intromulti.html.

FERGUSON, J.). “Declarations of dependence: labour, personhood, and welfare in southern Africa”. In: Journal of the Royal Anthropological Institute (N.S.) 19, 2013, p. 223-242.

FRASER, N. Justice Interruptus: Critical Reflections on the 'Postsocialist' Condition, London: Routledge, 1997.

GALEANO, E. Os filhos dos dias. Porto Alegre; L&PM, 2012.

GITLIN, T., 1995, The Twilight of Common Dreams: Why America Is Wracked by Culture Wars, New York: Metropolitan Books.

GUTMANN, A. “Introdução”. In: GUTMANN, A. (org.) Multiculturalismo: examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituto Piaget, 1994, p. 22.

HIRSCHMANN, NANCY J. & WRIGHT, JOANNE H. (eds.), “Hobbes, History, Politics, and Gender: A Conversation with Carole Pateman and Quentin Sknner”. In Feminist Interpretations of Thomas Hobbes, Pennsylvania State University Press, 2012, pp. 29-51.

KYMLICKA, W. Multicultural Citizenship: A Liberal Theory of Minority Rights, Oxford: Oxford University Press, 1995.

__. “Liberal Complacencies” in: Is Multiculturalism Bad for Women? J. Cohen, M. Howard, and M.C. Nussbaum (eds.), Princeton: Princeton University Press, p. 31- 34.

MILLET K. Sexual Politics. Chicago: University of Illinois Press, 2000.

OKIN, S. “Is Multiculturalism Bad for Women?” in Is Multiculturalism Bad for Women? J. Cohen, M. Howard, and M.C. Nussbaum (eds.), Princeton: Princeton University Press, 1999.

PAREKH, B. “A Varied Moral World” in Is Multiculturalism Bad for Women? J. Cohen, M. Howard, and M.C. Nussbaum (eds.), Princeton: Princeton University Press, 1999, p. 69 -75.

PATEMAN, C. “Críticas Feministas à Dicotomia Público/Privado” in Miguel, Luis Felipe e Biroli, Flávia (org.). Teoria política feminista: textos centrais. Vinhedo: Editora Horizonte, 2013, p.55 -79.

RORTY, R. Achieving Our Country: Leftist Thought in Twentieth-Century America, Cambridge, MA: Harvard University Press. 1999.

SONG, S. (2016). Multiculturalism. In E. N. Zalta (Ed.), The Stanford Encyclopedia of Philosophy. Disponível em: http://plato.stanford.edu/entries/multiculturalism

STRATHERN M. O gênero da dádiva: problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Melanésía. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2006.

TAVAREZ, Q. L. C. “Comunitarismo e Multiculturalismo” in Lois, C. C. (org). Justiça e Democracia: entre o Universalismo e o Comunitarismo, São Paulo, Landy Editora, 2005, p. 89 -149.

TAYLOR, C. “Política de Reconhecimento” in Argumentos filosóficos. São Paulo: Loyola, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Willian Martini

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br