Por que uma história feminista da filosofia?

Edegar Fronza Junior

Resumo


O presente estudo tem como objetivo principal apresentar ao leitor pistas para um possível projeto de revisão dos cânones filosóficos a partir de uma história feminista da filosofia. Ele se estrutura em três seções distintas: a primeira seção busca identificar a misoginia presente no cânone filosófico a partir de alguns escritos de Aristóteles, Rousseau e Kant; a segunda seção faz uma recuperação das mulheres na filosofia e de seu valor para o pensamento filosófico, a partir de Diotima de Matinéia, Mary Wollstonecraft e Olympe de Gouges; por fim, na terceira e última seção, tratar-se-á de algumas reflexões metodológicas possíveis sobre a história da filosofia a partir de uma abordagem feminista.


Palavras-chave


História; Feminismo; Filosofia.

Texto completo:

PDF

Referências


AMOROS, Celia. Hacia una critica de la razón patriarcal. Barcelona: Anthropos, 1991.

ARISTÓTELES. A política. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

______. Histoire des animaux. Tradução de Pierre Louis. Paris: Les Belles Lettres, 1969.

FREELAND, Cynthia. Nourishing Speculation: A Feminist Reading of Aristotelian Science. In: BAR ON, Bat-Ami (ed). Engendering Origins: Critical Feminist Readings in Plato and Aristotle. Albany: State University of New York Press, 1994, p. 145-188.

KANT, Immanuel. Observations on the feeling of the beautiful and sublime. In: OSBONE (org). Woman in western thought. Nova York: Random House, 1979.

______. Observações sobre o sentimento do belo e do sublime. 2 ed. Campinas. São Paulo: Papirus Editora, 1993.

______. Political Writings. REIS, H (org). Cambridge: Cambridge University Press, 1970.

NYE, Andrea. Socrates and Diotima: Sexuality, Religion and the Nature of Divinity. New York: Palgrave Macmillan. 2015.

PINHEIRO, Vitor Sales. Introdução. In: PLATÃO. O Banquete. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém: Ed. UFPA, 2011, p. 27-70.

PLATÃO. O Banquete. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém: Ed. UFPA, 2011.

RAMOS JURADO, Enrique Angel. Eros demónico y mujer demónica,

Diotima de Mantinea. HABIS, n. 30, 1999, p. 79-86. Disponível em: . Acesso em: 01 de junho de 2018.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou Da educação. 3. ed. Tradução de Sérgio Millet. São Paulo: DIFEL, 1979.

SATTLER, Janyne. Uma questão de forma: lições metodológicas com Martha, Cora e Christine. Florianópolis, 2018. No prelo.

GATELL, Rosa Ruis. Introdución – Las Filósofas de GillesMénage. In: MÉNAGE, Gilles. Historia de las mujeres filosofas. Bracelona: Herder Editorial, 2009, p. 11-41.

GOUGES, Olympe. Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã. Disponível em:

HALPERIN, David. Why is Diotima a Woman? In: HALPERIN, David. One Hundred Years of Homosexuality and other essays on Greek Love. New York: Routledge, 1990,p. 113-151. Disponível em: . Acesso em: 01 de junho de 2018.

HARDING, Sandra; HINTIKKA, Merrill (eds). Discovering Reality, Dordrecht: D. Reidel, 1983.

HIRSCHMANN, Nancy. Gender, Class, and Freedom in Modern Political Theory. New Jersey: Princeton University Press, 2008.

PATEMAN, Carole. O contrato sexual. Tradução de Marta Avancini. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

SANTOS DE CARVALHO, Maria da Penha Felicio. et al. O ponto de vista feminino na reflexão ética: Histórico e implicações para a teoria de organizações. Univali, 2001.

WAITHE, Mary Ellen. A History of Women Philosophers. Vol 1. Ancient Women, 1987.

WEISS, Penny. Wollstonecraft and Rousseau: The Gendered Fate of Political Theorists. In: FALCO, Maria J. (ed). Feminist interpretations of Mary Wollstonecraft. Pennsylvania State University Press, 1996. p. 15-32.

WITT Charlotte; SHAPIRO Lisa. História feminista da filosofia. Disponível em: < https://plato.stanford.edu/entries/feminism-femhist/>> Acesso em 26 de maior de 2018.

WOLLSTONECRAFT, Mary. Reivindicação dos direitos da mulher. São Paulo: Boitempo, 2016.

ZEA, Leopoldo. A filosofia latino-americana como filosofia pura e simplesmente. RJ: Garamond, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Edegar Fronza Junior

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br