Existir no limiar do mistério: expressões do paradoxo da fé em Søren Kierkegaard

José da Cruz Lopes Marques, Evanildo Costeski

Resumo


A tensão entre fé e razão é certamente um dos temas mais emblemáticos do pensamento kierkegaardiano, sobretudo, no clássico Temor e tremor de 1843. Ao definir a fé como o paradoxo da vida, o filósofo dinamarquês demonstra a impossibilidade de uma total decifração dos mistérios da fé pela via racional. No seu entender, a relação entre o existente e o infinito está sempre confinada pelo limiar do mistério. Neste sentido o conhecimento é muito mais uma relação do que uma apreensão intelectual. Diante disso, o presente artigo tenciona analisar o modo como o paradoxo da fé se expressa na filosofia de Kierkegaard. Ao mesmo tempo, situar a crítica do dinamarquês à tentativa de reducionismo da fé à razão.


Palavras-chave


Fé; Paradoxo; Existência, Subjetividade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Jose da Cruz Lopes Marques, Evanildo costeski

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br